Se proteger online é muito mais difícil do que parece, alerta especialista

, , No Comments

Recentemente, segurança digital se tornou tema dos principais noticiários do país após fotos íntimas da atriz Carolina Dieckmann e um vídeo de sexo da ex-BBB Renata vazarem na Internet. Com toda essa exposição na mídia, e a falta de proteção virtual se tornando um tema frequente, fica a dúvida: será que os brasileiros se preocupam e sabem se defender de ameaças virtuais?

Jovem no Facebook (Foto: Reprodução)Jovem no Facebook (Foto: Reprodução)
Segundo Nelson Murilo, consultor há mais de 20 anos e autor do livro Segurança em Redes sem Fio (Editora Novatec), as pessoas, de forma geral, não se preocupam com proteção, tanto pessoal quanto virtual: "Um outro problema associado é que as pessoas consideram a Internet algo etéreo. Elas não conversam ou aceitam coisas de estranhos, mas têm papos pessoais em redes sociais e salas de chat, marcam encontros com desconhecidos, etc.", contou, em entrevista ao TechTudo.
Essa falta de cuidado é mostrada em números. A Microsoft revelou, em uma pesquisa no início do ano, que cerca de 44% dos computadores no Brasil estão contaminados com algum tipo de arquivo malicioso. O especialista acredita que as pessoas começam a tomar mais cuidados após saberem de casos como da atriz Carolina Dieckmann, mas logo acabam esquecendo de sua segurança. "Infelizmente, as pessoas percebem apenas um tipo particular de fraude e não que qualquer assunto pode ser um golpe". 
Seu computador está seguro? (Foto: Arte/TechTudo)Seu computador está seguro? (Foto: Arte/TechTudo)
E, para o consultor, se proteger virtualmente é muito mais difícil do que parece. "Muitos especialistas falam em tomar cuidado com e-mails suspeitos, mas que características eles têm? Falam para desconfiar de e-mail de desconhecidos, mas e se seu conhecido for infectado com um vírus? Acredito que existem poucas formas para tentar evitar cair em golpes, e a principal é pensar por que aquela informação está chegando para você via e-mail. Na dúvida, entre em contato com o endereço oficial e confirme a informação."
Mesmo assim, ele garantiu que, por mais espertos que sejam esses golpes, eles não são perfeitos, e que toda ação, sendo ela criminosa ou não, deixa vestígios que podem ser descobertos. Além disso, Murilo acredita que a polícia brasileira está apta para cuidar deste tipo de casos. "Mas é um trabalho contínuo, pois as tecnologias surgem e evoluem todo dia."
Ameaças diárias
E não são apenas pessoas "comuns" que são atacadas. Até especialistas no assunto sofrem destes males. Jonny Ken, colunista do TechTudo na área de Internet e criador do encurtador de URL migre.me, recentemente recebeu um desses e-mail maliciosos. "Eles estão se especializando cada vez mais. Recebi um e-mail desses com o meu nome completo e CPF. Como não acreditar em um e-mail de um 'banco' com esses dados? Deve ter vazado de algum site que solicita esses dados e usaram para o mal".
Ken também revelou que diariamente o migre.me bloqueia todo tipo de phishing e que o número de pessoas clicando é assustador. "Alguns links chegam a ter mais de 5 mil cliques. Esse número é gigantesco!", contou.