Mais amigável, BlackBerry 10 tem seus diferenciais contra o iOS e o Android

, , No Comments

Meses depois de apresentar o BlackBerry 10 e deixar o mercado cheio de perguntas sem respostas, a RIM finalmente mostrou suas armas nesta terça-feira (25). Ainda que sem aparelhos, a empresa fez boas modificações e melhorias na forma de se usar seu sistema. "Estamos na luta", disse o presidente da RIM, Thorsten Heins.

RIM mostra loja de apps do BlackBerry 10 (Foto: Allan Melo/TechTudo)RIM mostra loja de apps do BlackBerry 10 (Foto: Allan Melo/TechTudo)
Segundo o CEO, os testes de rede com as operadoras começam no mês que vem. Junto ao cronograma proposto aos desenvolvedores de apps, é possível que os primeiros aparelhos comecem a aparecer no início de 2013, ainda no primeiro trimestre.
Fluxo contínuo
"Integrado, social e bonito". Este é o lema do novo BlackBerry 10, nas palavras do vice-presidente da RIM, Alec Saunders. Durante a primeira conferência do dia, os executivos da companhia mostraram que seu sistema está muito mais social e amigável, tanto para os usuários quanto para os desenvolvedores e operadoras.
Tela principal do sistema BlackBerry 10 (Foto: TechTudo)Tela principal do sistema BlackBerry 10 (Foto:
TechTudo)
Um dos pilares deste novo BB10 é o que eles chamam de "fluxo contínuo", uma ideia de que não é preciso intercalar ou abrir aplicativos toda que você precisar realizar uma tarefa. "Você não precisa lançar cada aplicação quando quiser fazer algo. Tudo estará ali, no fluxo", disse Heins. "Ele precisa entregar tudo o que você precisa em um fluxo contínuo, além de prever o que você quer fazer e ser adaptável para as suas necessidades", continuou.
Em uma das demonstrações, o smartphone foi posto em modo Sleep (economia de energia e notificações desativadas) com um simples arrastar para baixo na tela de notificações. Ao exibir seu famoso relógio, neste modo, o alarme pode ser configurado com um simples toque, como nos relógios de pulso, sem abrir um menu só para isso.
Em outro exemplo usaram o BlackBerry Hub, um agregador de notificações voltado para interações sociais. Acionado com um movimento de arrastar para a esquerda na tela de multitarefa, agregaram ali e-mails, redes sociais e mensagens do BlackBerry Messenger (BBM).
Falando nisso, este movimento de arrastar para a lateral foi apelidado de "Peek". Para os usuários, sua interação lembra remotamente a navegação horizontal do Windows Phone, deixando parte da tela seguinte (ou anterior) à mostra. A ideia da RIM é trazer, com este menu, opções coerentes que o usuário esperaria interagir, como no aplicativo de e-mail, onde ele é usado para mostrar diversas interações com os remetentes de um mesmo e-mail.
Função "Peek" de troca de telas do BlackBerry 10 (Foto: TechTudo)Função "Peek" de troca de telas do BlackBerry 10
(Foto: TechTudo)
Mais social e mais produtivo
Um dos recursos mais interessantes do BB10 é o seu novo teclado QWERT, já famoso desde a época em que mal se falava em touchscreen. Agora adaptado às telas maiores e sensíveis ao toque, o teclado virá com um sistema de previsão semelhante ao do app SwiftKey, com sugestões para autocompletar as palavras, acionada com um simples movimento para cima.
Diferentemente do outros teclados, no entanto, o QWERT do BB10 consegue trabalhar com várias línguas, mas ao invés de usar todos os dicionários ao mesmo tempo, ele te dá a possibilidade de trocar de idioma com um simples botão.
Outro conceito adotado no sistema são os perfis de uso: uma para os apps de trabalho e outro para o dia a dia. No próprio menu, os recursos dedicados para cada tipo de uso ficam separados, e as próprias funcionalidades trabalham de acordo com o perfil. Como exemplo, a AppStore do modo "pessoal" é diferente da AppStore de trabalho, onde foco para ferramentas de trabalho e edição são maiores.
Velhos pilares ainda são exaltadas

Junto com as inovações, a RIM ainda defende a segurança de sua plataforma, robusta o suficiente para ser usada em grandes empresas. "Segurança e privacidade ainda são pontos importantes para vários CEOs", defendeu Heins. Sem mencionar diretamente, o presidente da RIM mostrou que este é um dos fatores decisivos de a tecnologia da empresa ainda ser usada hoje em dia, mesmo com a presença de fortes concorrentes.
Assim como a confiabilidades, a empresa também exaltou seu teclado QWERTY e a capacidade de multitarefa, possivelmente melhor que a experiência oferecida no Android (ao menos na demonstração). Usando o mesmo conceito apresentado no Playbook, a borda escura dos smartphones também serão touchscreen. Assim, a tela de multitarefa, por exemplo, poderá ser acionada com um movimento de arrastar o dedo da borda de baixo até o centro.