Preço do iPad mini, mais caro que concorrentes, não incomoda Apple

, , No Comments

O vice-presidente de marketing da Apple, Phil Schiller, concedeu na última terça-feira (23) uma entrevista à Reuters na qual defende os altos preços do recém-lançado iPad mini. Segundo o executivo, os consumidores estarão dispostos a pagar pela qualidade do novo tablet, que não é encontrada nos modelos mais baratos da concorrência, como o Nexus 7 e o Kindle Fire.

Phil Schiller, executivo de Marketing da Apple e o iPad Mini (Foto: Reprodução)Phil Schiller, executivo de Marketing da Apple e o iPad Mini (Foto: Reprodução)
Analistas de mercado, porém, acreditam que os altos preços do modelo podem afastar os consumidores conscientes do seu custo-benefício. Isto porque os tablets da concorrência custam a partir de US$ 199 (cerca de R$ 400), enquanto o aparelho da Apple sai por, no mínimo, US$ 329 (em torno de R$ 660). E mesmo levando vantagem em alguns quesitos frente ao concorrente, o iPad mini é inferior em grande parte de suas especificações técnicas.
Quando questionado pela Reuters se o preço do iPad Mini pode afastar os consumidores, Phil Schiller foi taxativo: “Os consumidores verão nosso produto como 'Premium' e saberão que vale a pena pagar mais caro por ele.” Além disso, o executivo acredita que o iPad Mini repetirá o sucesso do seu irmão maior e que o preço cobrado é acessível e vai atrair um “monte de novos clientes animados.”.
O vice-presidente de marketing finalizou a entrevista com uma polêmica: para ele Google e Amazon “falharam miseravelmente” com seus tablets compactos e que não são uma “grande experiência”. Ainda assim, as coisas não são tão simples quanto pensa Schiller, já que os tablets Amazon Kindle Fire e Google Nexus 7 são sucessos de público e crítica atualmente.