Rumor: Nokia pode vender divisão de celulares para a Microsoft

, , No Comments

Analistas do banco dinamarquês Danske Bank declararam nesta quarta-feira (14) que a Nokiapoderia, em breve, vender a sua divisão de celulares para a Microsoft. O rumor provocou um impacto imediato nos papéis da empresa finlandesa na Bolsa de Valores, resultando em um aumento de até 3.2% em suas ações.
Nokia-Concept-Device-Pairs-Windows-Phone-7-with-Symbian-2Desing conceitual de um Nokia com Windows Phone 7 e Symbian 2 (Foto: Divulgação)
O Danske Bank é o maior banco da Dinamarca, e sua análise foi feita através da observação do envolvimento da Microsoft com a Nokia, principalmente em relação ao desenvolvimento de novos produtos. Caso os rumores se concretizem, essa será uma das mais impactantes mudanças na história do mercado mobile.

Segundo a matéria publicada no site Business Week, os analistas do banco acreditam que uma compra da divisão mobile da Nokia pela Microsoft é “perfeitamente possível, viável, e faz todo o sentido”, já que, assim, a empresa de Redmond poderia agilizar o processo de desenvolvimento do Windows Phone com um hardware específico para o seu sistema. A estratégia também seria semelhante ao que o Google adotou, ao comprar a divisão de mobilidade da Motorola. Assim, eles estabeleceriam um padrão de produtos semelhante ao que a Apple utiliza em seus dispositivos.
Ainda segundo os especialistas do Danske Bank, uma eventual venda da divisão de celulares da Nokia para a Microsoft é “recomendada”, pois certamente impulsionaria o valor das ações da empresa, que registrou queda de 50% em 2011. Hoje, a Nokia vale aproximadamente US$ 19.1 bilhões, um valor considerado baixo se levarmos em conta o número de países onde a fabricante está presente.
A Nokia negou os rumores, como era de se esperar. Doug Dawson, porta-voz da fabricante, disse que “a empresa deixou esses rumores no passado” em um comunicado por e-mail. É difícil dizer o quanto de verdade tem essa informação nesse momento, mas vale a pena lembrar que muitos não acreditaram na possibilidade de uma parceria entre a Nokia e a Microsoft, quando os primeiros rumores apareceram.